Blog

Home Blog Branding Posicionamento de marca: você não vai agradar ...

Ter um propósito claro na vida é saber onde se quer chegar.

É colocar energia necessária para enfrentar uma trajetória, que certamente não será fácil. 
E numa empresa não é diferente.

Houve um tempo em que os negócios tentavam vender para todas as pessoas de qualquer segmento. Isso fez com que essas organizações ficassem sem um foco declarado, gerando pouca identificação com qualquer público.

Porém, de uns tempos pra cá, as empresas de sucesso analisaram o comportamento dos consumidores e identificaram que ter um posicionamento de marca é um diferencial relevante, pois gera mais engajamento e aproxima o negócio ainda mais do seu cliente ideal.

Ter um posicionamento é deixar claro aquilo que sua empresa almeja como ideal para ela e não apenas escolher os determinados produtos e serviços que ela oferece.

Já dizia Simon Sinek:

“As pessoas não compram pelo que você faz, elas compram pelo que você é.”

Abaixo, separamos algumas dicas rápidas sobre o que temos aprendido sobre posicionamento de marca.

1. TENHA UM PROPÓSITO

Afinal, ele é o seu propósito; é uma questão muito íntima e subjetiva, com a qual cada um tem seu próprio jeito de lidar. 

Saber o porquê você acorda todos os dias é uma ótima maneira de você viver. Imagine isso para a sua marca.

Às vezes, o propósito surge por eliminação daquilo que não queremos e isso pode acontecer após o envolvimento de uma série de atividades. Cabe aqui testar o que serve e o que não serve.

Mas, outras vezes, já temos a certeza desde cedo. Eventualmente, o propósito surge por inspiração de alguém que você admira ou segue.

O nosso propósito aqui na Beagle Ship é impulsionar os negócios dos nossos clientes, e o nosso também, para o crescimento.

A gente acha que quanto mais uma empresa cresce, mais ela gera emprego, produz e distribui riqueza e contribui para uma sociedade mais próspera.

Nos apegamos ao tema “evolução” por entender que, acima de tudo, empresas são feitas por pessoas e pessoas com o mesmo propósito, unidas, podem mudar o mundo pra melhor.

Por conta disso, nossas ações vão sempre ao encontro daquilo que representa mais liberdade para o indivíduo poder prosperar e gerar valor para a sociedade.

2. DEFINA SUAS CRENÇAS

Definir as crenças dentro do seu propósito, basicamente, é dizer o que você vai fazer e o que você não vai fazer.

Aqui é um campo bastante delicado.

Muitas pessoas vão achar que você não está sendo justo com tais e tais públicos.

Mas, no jargão popular, “quem vende para todo mundo, não vende pra ninguém”.

Se você vende camisetas do Internacional, não importa que o torcedor do Grêmio te odeie. É até ótimo que isso aconteça, pois provavelmente você irá gerar maior engajamento com os torcedores do Inter.

Aqui na agência, nossas ideias se dirigem a tudo que acreditamos ser o mais maduro dentro da evolução do mundo dos negócios.

Também entendemos que não devam existir barreiras para as pessoas que, voluntariamente, querem comprar e vender seus produtos e serviços. 

Por esse motivo, entendemos que o Estado exerce um grande empecilho na prosperidade das pessoas, principalmente dos mais pobres, que têm menos acesso e acabam pagando altas cargas tributárias, repassadas pelo custo de produção dos negócios, no que se refere ao Brasil, principalmente.
 
Assim que decidir como e o que quer fazer da sua empresa, qual problema ela resolve para a humanidade, estipule como você vai chegar no seu objetivo final.

Trace planos, objetivos e metas, e não tenha medo de usar os conflitos a seu favor.

3. NÃO SUBVERTA SEUS VALORES

Se você defende um estilo de vida e um estilo de gestão diferente na sua empresa, acredite no processo e siga em frente independente das críticas.

Não dê bola para os haters. 

Existem muitas pessoas que irão se solidarizar com esse pensamento.

Uma vez que seu propósito estiver estabelecido, não volte atrás sob hipótese alguma.

Seja coerente com seus ideais, mesmo que algumas pessoas não gostem.

Sua empresa não tem a obrigação de agradar todo mundo.

Por exemplo, aqui na Beagle Ship, não aceitamos dinheiro público, não participamos de licitações nem recebemos pagamentos de verbas de Lei Rouanet, por achar que não é correto, apesar de ser legalizado. 

4. TENHA UM BOM HUMOR

Levar as dificuldades do seu negócio com bom humor te ajuda a chegar mais longe.

Todo negócio tem dificuldades, principalmente aqueles que possuem um posicionamento que, por questões naturais, excluem algum tipo de organização que não corresponde com os valores da sua.

Sarcasmo, ironia, piadas, são uma boa forma de dar liberdade para as pessoas da sua empresa usarem.

Receber críticas com bom humor também é essencial.

5. NÃO PEÇA DESCULPAS POR ESCOLHER UM CAMINHO

Se você não fez nada de errado, não há motivos para você pedir desculpas.

Empresas que criam uma ação e depois voltam atrás por pressão, acabam sendo desmerecidas por aqueles que a admiram.

Você pode até maneirar nas palavras para não ofender ninguém, mas se desculpar só vai fazer você cair em descrédito pelas pessoas que verdadeiramente são seus seguidores e querem o seu sucesso.

6. SEJA AUTÊNTICO

Temos analisado diversas empresas em que o politicamente correto simplesmente matou o diálogo sobre as coisas.

Hoje em dia, falar que você não gosta de um ou não gosta de outro já é preconceito e diversos “ismos” que temos visto por aí.

Liberdade de expressão ainda é um direito de todos, principalmente no ramo da comunicação.
Fale o que você pensa e argumente sobre suas posições.

7. USE O ÓDIO A SEU FAVOR

Sua empresa pode imaginar que ficar isenta sobre os aspectos que a circundam é a melhor escolha.

Pode até ser, mas se você quiser mesmo tomar um posicionamento e acredita que isso lhe trará bons frutos, use o sentimento de ódio daqueles que se sentiram rejeitados pela sua oferta ou crenças da cultura da empresa.

A maioria das pessoas age por impulso e é muito mais fácil ser criticado do que elogiado.

Sobre essas pessoas, apenas use-as a seu favor.

Você pode fortalecer as posições da sua marca, aumentar a sua visibilidade, melhorar o SEO do seu site, gerar engajamento (mesmo que negativo) e melhorar o alcance orgânico dos seus conteúdos.

Quando começarem a aparecer pessoas contrárias a causa que você defende, não tente debater, pois na maioria dos casos, elas não estarão interessadas em discutir ideias e no porquê você ter seu posicionamento.

Aqui vale aquele ditado: “falem mal ou falem bem, mas falem de mim”.

CONCLUSÃO

Por fim, se você é empreendedor e acredita que ter um posicionamento possa te levar a um lugar de diferenciação, é bom que comece logo.

Durante esse processo, é preciso saber separar posicionamento pessoal de profissional, pois a empresa é um conjunto de pessoas diferentes com os mesmos objetivos.

Empresas não podem apoiar partidos políticos, raças, sexos ou outro tipo de divergência.

EMPRESAS APOIAM IDEIAS.

Se um negócio não possui nenhuma oferta para algum tipo de consumidor, isso não é questão de discriminação, simplesmente esse público não tem afinidade.

É importante ressaltar que a Beagle Ship não discrimina e não adota critérios distintos de admissão e/ou permanência no emprego, dos seus atuais e futuros empregados, em razão do sexo, idade, cor, estado civil e/ou orientação politico-ideológica, bem como qualquer outro que se revele discriminatório, respeitando as liberdades políticas e individuais asseguradas, compromisso que reafirma com todas as autoridades competentes.

Aqui na agência, estamos sempre de portas abertas para quem também diverge da gente.

Não temos problemas com diálogo de ideias e não idolatramos pessoas.

Você pode até não concordar, mas esse é um posicionamento e as pessoas precisam respeitar isso.

Comentários